Entrevista com o Criador do Mortal Kombat

Mortal Kombat pertence a um grupo selecto de ícones dos videojogos que perduram até aos dias de hoje, encantando os fãs de jogos de luta com mais de 10 títulos. O mais recente, Mortal Kombat X (recentemente relançado como Mortal Kombat XL), foi muito elogiado, e a Netherrealm Studios pretende continuar o sucesso da série. Foi isso que nos disse Ed Boon, um dos criadores do Mortal Kombat original, que continua ainda hoje apaixonado pela saga.

O primeiro Mortal Kombat foi lançado em 1992, mas manteve-se sempre ligado à série. Agora que Mortal Kombat XL já está disponível, como tem sido passar por este trajeto, e manter acesso o entusiasmo?

Os fãs de Mortal Kombat sempre nos motivaram com a sua paixão, para entregarmos sempre o melhor jogo possível. Essa é facilmente a nossa maior motivação, mas com cada jogo de Mortal Kombat tentamos introduzir novas características que os jogadores ainda não tenham visto. Isso deixa-nos entusiasmados, e dá aos jogadores novos desafios e pormenores para aprenderem com cada jogo. Desta forma também nos certificamos que cada sequela se distingue dos outros capítulos.

mortal-kombat-mocambique

Mortal Kombat tem muitos e leais fãs, mas com tanto conteúdo produzido ao longo dos anos, devem ter sempre bastantes pedidos sobre o que deve ser incluído nos novos jogos. Como reagem a essas abordagens dos fãs?

Simplesmente adoramos o facto de serem tão apaixonados por Mortal Kombat. Recebemos sempre muitos pedidos sobre o que deve estar num jogo, mas infelizmente é impossível cumprir todos os desejos dos jogadores. Por vezes até existem pedidos que se anulam uns aos outros, por isso é a nossa função decidir o que faz mais sentido para cada versão de Mortal Kombat. Tentamos sempre ouvir os fãs, e cumprir os seus desejos quando é possível, mas também gostamos de os surpreender, e colocar funções nos jogos que não esperariam.

Pode dar-nos um exemplo de como os fãs podem ter influenciado Mortal Kombat X?

Os fãs são particularmente influentes quando estamos a tentar decidir que tipo de lutadores vão ser acrescentados via DLC, já que são bastante claros sobre as personagens que gostariam de ver num jogo. Temos sempre os ouvidos bem abertos para tentarmos perceber as suas intenções, mas como já referimos, o mais importante mesmo é surpreender os jogadores.

Reptile era uma personagem ultra-secreta do primeiro Mortal Kombat. Pode explicar-nos como apareceu, e de que forma influenciou os jogos seguintes?

O Reptile era simplesmente uma versão de Scorpion e Sub-Zero com um fato verde. Como já não tínhamos memória gráfica suficiente para outra personagem, tivemos de recorrer ao que tínhamos. O Reptile acabou por ser a primeira personagem super-secreta de qualquer jogo de luta, e acabou por definir o tom dos Mortal Kombat seguintes, no sentido em que deixámos sempre mistérios para os jogadores descobrirem. Eventualmente os jogadores começaram a esperar segredos com os nossos jogos.

Mortal Kombat é um jogo adorado por fãs casuais e jogadores mais experientes. Como conseguem manter esse equilíbrio de manter a jogabilidade acessível, mas profunda o suficiente para os mais devotos?

É preciso criar um equilíbrio muito delicado, que temos tentado discutir, debater e evoluir ao longo dos anos. Os jogadores de jogos de luta de hoje são muito mais sofisticados do que eram há 20 anos, mas sempre tentamos ter uma percepção do estado do jogador casual e do jogador profissional. O ponto de equilíbrio acaba por ser um pouco diferente para cada jogo de luta que lançamos, e é algo que estamos a reavaliar constantemente.

A NetherRealm está claramente a liderar os jogos de luta em termos de conteúdo de história. Porque se concentram tanto nesse tipo de conteúdo num género que é tradicionalmente virado para jogabilidade competitiva entre jogadores?

A realidade é que a maioria das pessoas passam a maior parte do tempo a jogarem sozinhas. Mortal Kombat é um jogo de combate de um contra um, e por isso está normalmente no seu ponto alto quando dois jogadores se confrontam, mas sentimos que era importante oferecer uma experiência divertida para o jogador solitário. Sentimos que Mortal Kombat tem a melhor experiência de qualquer jogo de luta em termos de conteúdo para o jogador a solo, e estamos muito orgulhosos disso.

Como surgiu a ideia de escrever Combat com K e não com C?

Quando ainda estávamos a tentar encontrar um novo para o jogo, a certo ponto escrevemos Combat num quadro do nosso escritório. Depois alguém sugeriu que mudássemos para Kombat, para dar algum mistério ao jogo. Depois de termos essa palavra, alguém sugeriu Mortal Kombat para o título, e desde aí ficámos convencidos que tínhamos o nome certo para o jogo.

O que mais o orgulha em relação a Mortal Kombat?

Pessoalmente estou muito orgulhoso do facto das duas últimas versões do jogo, Mortal Kombat 9 e Mortal Kombat X, serem as mais vendidas de sempre na série. Não conheço muitas séries de videojogos que tenham durado mais de 20 anos, e que tenham consigo ter as suas melhores performances nos capítulos mais recentes. Além disso, adoro o facto de termos os melhores fãs.

Mortal Kombat XL já está disponível para PC, PS4 e Xbox One, e inclui o jogo original, juntamente com os pacotes extra de personagens.

Published